Planejando a Viagem para Apiaí e Iporanga

Depois de escrever o post Trilha e Caverna Faz Bem e contar sobre a minha percepção sobre cavernas e natureza, fiquei imaginando o quanto algumas dicas podem ser úteis para quem está planejando a viagem.

Primeira dica. Evite feriado prolongado. Eu visito há alguns anos, quase sempre no Carnaval e, a cada Carnaval, percebo mais gente chegando. No caso do PETAR há um limite de visitação. Deixei de fazer uma trilha pela quantidade de carros na entrada do Núcleo Santana, no entanto, fugir das pessoas foi a melhor coisa, pois descobri novos lugares.

Não posso opinar sobre hospedagem, pois sempre fico na casa de um amigo. No entanto, opções de hospedagem não faltam, para todos os estilos e bolsos. Ah, a primeira vez que visitei o PETAR acampei no Núcleo Caboclos. Você vai gostar de acampar em Caboclos se não se importar em não ter energia elétrica, tomar banho gelado e sempre olhar se não há aranhas no banheiro/chuveiro.

Entre em contato com o guia para combinar o seu roteiro. Ele pode indicar passeios de acordo com a sua expectativa, preparo e tempo de estadia. Conte sobre o seu estilo de viagem, se você já fez trilha antes, ou se é a primeira visita. Envie um whatsapp para o monitor Luio (15) 99852-9759.

Prepare a mochila. Leve uma troca de roupa para cada dia de trilha, além das roupas que você vai levar para passear à noite, por exemplo. A roupa para trilha precisa ser confortável: camiseta com manga (não regata) e calça (não jeans). Leve meias – muitas meias – afinal vestir tênis molhado é tranquilo, mas vestir meia molhada é horrível. Não esqueça de sacos com zíper (ou sacolas) para a roupa/tênis sujos. Vai sujar pra valer.

Mesmo que você vá no verão, leve blusa de frio. É serra, é mata, logo sempre tem aquele friozinho, aquela chuva surpresa. Quando está muito calor eu costumo levar uma blusa mais grossa para usar à noite e cardigans para usar na trilha (e não pesar na mochila caso fique com calor).

Para trilha é importante levar:

Calçado para trilha. Eu gosto da Macboot, mas independente da marca, é importante NÃO ter o solado reto, pois haverá muitas pedras lisas no percurso. Lembre-se de usar o calçado antes da viagem para se acostumar e não correr o risco de descobrir na hora que o seu tênis machuca.

Lanterna de cabeça + pilhas + pilhas reservas. Você encontra lanternas de cabeça em lojas de pesca, camping ou esportes. Tem de vários preços. Procure pagar menos de R$ 80 numa lanterna, a não ser que você esteja pensando fazer esse tipo de passeio sempre.

Mochila para trilha ou mochila estanque. O legal da mochila estanque (à prova d’água) é que dá pra ficar despreocupado, mas se não tiver procure por uma mochila leve e que não tenha problema se molhar/sujar. Para proteger celular, câmera e carteira você pode improvisar com saquinhos tipo zip.

Lanchinhos. Gosto de levar pão com patê de legumes (preparo na hora para não estragar), mel em sachê, castanhas, cookies integrais e suco. Leve alimentos que te dão saciedade e energia.

No PETAR (Núcleo Caboclos) visite a Caverna Temimina. A experiência na trilha é bem marcante, principalmente no trecho conhecido como “paredão”. A paisagem da caverna é bem panorâmica, com salões amplos, travertinos e alguns trechos atravessando a água.

Apiaí e Iporanga não é só o PETAR. Já pensou em conhecer a Reserva Betary em Iporanga ou fazer rapel na Cachoeira Mafalda em Apiaí?

Na estrada Apiaí-Iporanga está o Mirante da Boa Vista, a Cachoeira Arapongas, a entrada para o Núcleo Santana no PETAR, o bairro da Serra onde há restaurantes, hospedagem e prática de boia-cross, a Cachoeira do Sem-Fim e a Reserva Betary.

A Reserva Betary é uma área de conservação e pesquisa onde você encontra estufa com plantas, insetos, anfíbios, cogumelos bioluminescentes, rochas fluorescentes, aquário e trilhas. Você encontra mais informações sobre o passeio aqui e aqui. É um passeio leve, mas muito legal, principalmente para quem gosta das questões científicas na natureza. É beirando o rio Betary e ainda tem uma piscina natural para curtir.

Saindo da Reserva fomos para a cidade Iporanga no restaurante Casarão. A comida é muito saborosa com opções vegetarianas e não vegetarianas. Eu pedi um trouxinha feita com taioba. Taioba é aquela folhagem gigante e linda que a gente costuma encontrar na serra. Percebi que todos os pratos tem um toque de ingrediente local. Recomendo também a sobremesa de sorvete de canela com calda de banana-ouro.

A Cachoeira Mafalda fica em Apiaí no bairro rural conhecido também como Mafalda. O caminho é super bonito com sítios e fazendas na paisagem. Eu desconhecia a cachoeira e, talvez o fato mais curioso, a maioria dos moradores de Apiaí também. Nosso grupo fez a primeira descida de rapel na cachoeira. Legal né? Mas não se preocupe: a descida é super segura em questão de equipamentos e orientação. Depois que de descer a primeira rocha fica mais tranquilo, pois a cachoeira é escalonada.

5 comentários em “Planejando a Viagem para Apiaí e Iporanga

  • Ahhh que amo ver suas fotos! Me deixa com vontade de conhecer o lugar de pertinho.
    Suas dicas foram maravilhosas!
    Eu evito muito viajar em feriados justamente por causa do movimento.. Nem sempre consigo curtir ..

  • Que imagens lindas! Adoraria fazer uma viagem assim! Deu invejinha e juro que é da boa! *.*

    Beijão, mariasabetudo

  • Caramba, amei! Adoro conhecer lugares assim e de fazer trilhas ^^.
    Eu evito sair em feriados prolongados, especialmente carnaval, fica impossível fazer qualquer atividade mais “sossegada” hahaha.

    Beijos
    http://orangelily.com.br

    • Patrícia Leardine
      3 meses atrás

      O Petar era o único local que eu considerava no feriado prolongado, mas agora só fora de temporada rsrs 🙂

%d blogueiros gostam disto: